Vivendo com o diagnóstico de NMO

Quem convive com o diagnóstico da NMO pode passar por muitas modificações em sua rotina, com o potencial de afetar diferentes âmbitos da vida pessoal e profissional. Muitos especialistas nos falam que é fundamental um diagnóstico precoce para garantir uma maior qualidade de vida, que é um conjunto de condições básicas visando o bem-estar das pessoas (saúde física, mental, social e espiritual).

O controle da dor é um ponto importante para pessoas com NMO, uma vez que mais de 80% das pessoas com NMO podem sentir dor, que é considerada por muitos como moderada e intensa.

Buscar ajuda psicológica com um psicólogo ou psiquiatra pode ser muito positivo para as pessoas com NMO e seus cuidadores, uma vez que enfrentar uma condição rara tende a gerar momentos difíceis, principalmente durante o processo de adaptação após o diagnóstico.

 Além de seguir o tratamento indicado e cuidar da saúde física (sono, alimentação, maneirar no consumo de bebidas alcoólicas), pode ser uma boa ideia para pessoas com o diagnóstico de NMO:

  • buscar organizações de pacientes para receber, dar e compartilhar apoio;
  • ler e pesquisar sobre o tema em fontes confiáveis;
  • não se isolar frequentemente;
  • se envolver e apoiar causas que defendem os direitos das pessoas com a NMO;
  • compartilhar a própria história para ajudar outras pessoas a encontrarem seus diagnósticos o mais cedo possível.

Esse é um breve resumo de um tema muito importante, que iremos abordar novamente no futuro, de forma mais aprofundada. Você gostou do conteúdo? Manda pra gente saber no relacionamento@cdd.org.br.

Até a próxima,

Time verde da CDD

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *